Área Restrita Novo


Segmentar a empresa e dividi-la, é errado?

Não, ninguém é obrigado a trabalhar todas as frentes do seu negócio em uma única empresa, até porque muitos segmentos são conflitantes em seus benefícios e deveres.

Mas não vão me descaracterizar e juntar todas as empresas, e eu ser autuado, hein!

Se houver de fato a segmentação, cada empresa deverá ter vida própria: conta corrente; contabilidade específica; seus próprios pagamentos e receitas. Enfim, cada empresa deverá, de fato, ser uma empresa independente, autônoma e capaz.

Na administração brasileira, ter um único CNPJ raramente é bom, pois a exposição da empresa é grande, ela, de forma geral, torna-se frágil, enquanto que, ao segmentar, subdividem-se também as tarefas e funções. O empresário deve, inclusive, fazer a gestão de cada segmento de acordo com suas particularidades e necessidades. Muitas vezes a empresa sofre por ficar amarrada, por ter que agir igual com todos, inclusive porque as características dos colaboradores de cada segmento são distintas. A liberdade de segmentar é boa para todos, inclusive para o mercado, que se regulamenta a partir de características particulares, e não generalizadas.

Segmentar significa dividir a empresa em partes que possam se manter e se sustentar de forma independente, de forma real. Por exemplo, você não precisa ser o fabricante de maquiagem e de estojo de maquiagem, podendo ser uma empresa para cada coisa, desde que elas tenham vidas distintas, pois isto é realmente uma exigência.

Não poderá haver confusão patrimonial, para que o empresário não tenha problemas. Portanto, não deixe isso acontecer, mesmo que seja por desorganização ou descuido, porque aí configura-se como uma estratégia para burlar o fisco (ou algo assim), e não uma estratégia de negócio.

Se uma empresa pagar as contas de outra, mantiver as contabilidades misturadas, efetuar transferências e remessas financeiras sem justificativa lógica do negócio em si, ser contratante e contratada exclusiva da outra, tudo isso transparecerá uma dependência financeira da outra e, sendo assim, é muito provável que a personalidade jurídica de uma deixe de existir e a que remanescer seja apurada, investigada e punida, entre outras consequências que podem surgir, como a complicação criminal para sócios e responsáveis.

É bom e é importante segmentar, pois cada ramo poderá ter a sua precificação, sua estratégia de marketing, sua gestão de pessoas, o que poderá, a meu ver, tornar o negócio mais forte. As administrações também devem ser isoladas e os gestores atender cada uma com as suas particularidades.

O motivo da segmentação deverá ser, de fato, o de dividir para crescer ou para melhor gerir as empresas. Neste caso, deve-se apurar corretamente os impostos, encargos e tributos de toda a operação, em todas as etapas exigidas por lei.

Texto: Luciana Ribeiro




Luciana Ribeiro


   
  Publicações anteriores
IRPF é obrigatória para alguns MEI
Estão obrigados a declarar o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) os Microempreendedores Individuais (MEI) que em qualquer período do ano passado tiveram retenção de imposto antes de se registrar nesta categoria jurídica.

 
Senado aprova medida que beneficia ME e EPP
O Senado Federal aprovou na última terça-feira (24) projeto que beneficia microempresas e empresas de pequeno porte enquadradas no Simples Nacional. De acordo com o Projeto de Lei (PL) 201/2013, o pagamento de ICMS sobre produtos ou mercadorias

 
Deputados aprovam projeto de amparo a trabalhadores domésticos
No último dia 17, a Câmara Federal aprovou com alterações o Projeto de Lei Complementar (PL) 302/13, que regulamenta os direitos e deveres do empregado doméstico. O PL retornou ao Senado. Segue os principais trechos alterados ou i

 
Receita notifica pequenas e médias empresas
Cerca de 26 mil pequenas e médias empresas foram notificadas pela Receita Federal em fevereiro sobre irregularidades nas declarações de 2012. As pessoas jurídicas que caíram na malha fina devem consultar o e-Cac no site da Receita

 
Ferramenta Empregador Web passa a ser obrigatória em duas semanas
A partir de 1º de abril todos os empregadores deverão utilizar o sistema Empregador Web para informar o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) sobre a dispensa do trabalhador. Só assim este poderá receber o Seguro-Desemprego. As g

 
O que muda com a obrigatoriedade da ECF
A Escrituração Contábil Fiscal (ECF), prevista desde 2010, agora é obrigatória. As primeiras exigências refletem diretamente no trabalho dos escritórios de contabilidade. Alterações na forma de apuraçã

 
Anvisa libera produtos para comercialização sem registro
Perfumes, cosméticos e artigos de higiene pessoal não precisam mais de registro para serem comercializados

 
IRPF 2015 – Ano-calendário 2014
O preenchimento das declarações de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) constitui um trabalho à parte das obrigações da Zloti com as pessoas jurídicas-clientes. Ele será feito por equipes especializadas contrata

 
Empresas devem organizar arquivos de NF-e
Atualmente, as empresas são obrigadas a guardar as Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) por cinco anos no formato de arquivo digital XML, gerado quando de sua emissão, e de acordo com o layout em vigor

 
Receita autoriza compensação de débitos da CPRB
A Receita Federal publicou no último mês de dezembro a Instrução Normativa (IN) nº 1.529/2014, que altera o texto IN nº 1.300/2012 e permite às empresas a utilização de créditos de contribuições

 
  Em Exibição: 91-100
    Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69
 
 
Rua Marapuama, 107 - Alto da Lapa - São Paulo
Telefone: 11 - 3835-7679
contato@zloti.com.br