Área Restrita Novo


Carf ignora STF e decide que ICMS compõe base de cálculo de PIS e Cofins

A União resolveu não acatar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e manteve o ICMS recolhido pelas empresas, mesmo estes não sendo faturamento das mesmas, na base de cálculo do PIS e da Cofins.

O Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) manteve o posicionamento que considera a decisão como não sendo definitiva, mesmo com o fato de o plenário do STF ter decidido, em repercussão geral, que o valor arrecadado a título de ICMS não se incorpora ao patrimônio do contribuinte e, dessa forma, não pode integrar a base de cálculo dessas contribuições.

Segundo ele, o Regimento Interno do Carf prevê que o requisito da decisão definitiva para a obrigatoriedade da aplicação do precedente deve observar se a decisão já transitou em julgado.

Enquanto isso, aguardando tamanha formalidade que firmará o direito do contribuinte em não recolher valores a maior, diante inclusive da já difícil situação financeira em que se encontram as empresas, terão estas que recolher os valores exigidos e, depois, através de processos ou administrativos ou judiciais (ambos custosos) requerer direitos que já são sabidos que possuem.

Especialistas veem com preocupação o fato de o órgão desrespeitar uma decisão do STF, já que o regimento interno do Carf determina que as matérias decididas com repercussão geral pelo STF devem ser seguidas.

Fonte: Receita Federal 

Texto: Luciana Ribeiro




Luciana Ribeiro


   
  Publicações anteriores
Receita pode suspender declaração anual do Simples Nacional
Medida depende de aprovação da presidente da República

 
EFD Social - Esclarecimentos
Receita tira dúvidas sobre a Escrituração Digital

 
Empresas podem pedir restituição em até dez anos
Medida se refere a tributos sujeitos a lançamento por homologação

 
Cinco atividades podem ser incluídas no Simples Nacional
Entre elas estão escritórios de engenharia e arquitetura

 
São Paulo muda legislação municipal fiscal


 
Sai cronograma de credenciamento de empresas do Simples


 
Empresa de responsabilidade limitada não exigirá mais sócio


 
Formalização do microempreendedor gera benefícios ao País


 
Senado regulamenta Empresa Individual
Projeto divide especialistas

 
A partir de 2012, cancelamento de NF-e deve ser feito em 24 horas
O prazo atual é de 168 horas

 
  Em Exibição: 371-380
    Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67
 
 
Rua Marapuama, 107 - Alto da Lapa - São Paulo
Telefone: 11 - 3835-7679
contato@zloti.com.br