Área Restrita Novo


Carf ignora STF e decide que ICMS compõe base de cálculo de PIS e Cofins

A União resolveu não acatar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e manteve o ICMS recolhido pelas empresas, mesmo estes não sendo faturamento das mesmas, na base de cálculo do PIS e da Cofins.

O Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) manteve o posicionamento que considera a decisão como não sendo definitiva, mesmo com o fato de o plenário do STF ter decidido, em repercussão geral, que o valor arrecadado a título de ICMS não se incorpora ao patrimônio do contribuinte e, dessa forma, não pode integrar a base de cálculo dessas contribuições.

Segundo ele, o Regimento Interno do Carf prevê que o requisito da decisão definitiva para a obrigatoriedade da aplicação do precedente deve observar se a decisão já transitou em julgado.

Enquanto isso, aguardando tamanha formalidade que firmará o direito do contribuinte em não recolher valores a maior, diante inclusive da já difícil situação financeira em que se encontram as empresas, terão estas que recolher os valores exigidos e, depois, através de processos ou administrativos ou judiciais (ambos custosos) requerer direitos que já são sabidos que possuem.

Especialistas veem com preocupação o fato de o órgão desrespeitar uma decisão do STF, já que o regimento interno do Carf determina que as matérias decididas com repercussão geral pelo STF devem ser seguidas.

Fonte: Receita Federal 

Texto: Luciana Ribeiro




Luciana Ribeiro


   
  Publicações anteriores
ESTADO APRESENTA PROPOSTA PARA PAGAMENTO DE DÉBITOS DO ICMS


 
RECEITA ANTECIPA PRAZO DE ENTREGA DA DIRF


 
Coaf fecha cerco para impedir lavagem de dinheiro


 
Câmara aprova Super Simples


 
SESCON-SP pede revisão de prazo da DIRF


 
Discussão sobre a carga tributária é muito emocional”, diz Rachid.


 
Empresa consegue liminar e exclui débitos de PIS e Cofins do Refis 3


 
Nota fiscal eletrônica já é realidade


 
Micro e pequenas empresas devem se adequar ao SPED até 2014
Até 2014, as micro e pequenas empresas devem abandonar o papel e utilizar o computador para transmitir as informações contábeis aos órgãos fiscalizadores. A exemplo do que já acontece com as empresas em regime de lucro r

 
  Em Exibição: 661-670
    Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67
 
 
Rua Marapuama, 107 - Alto da Lapa - São Paulo
Telefone: 11 - 3835-7679
contato@zloti.com.br