Área Restrita Novo


O papel da criatividade e da inovação para as instituições.

Com a competição e a globalização estabelecidas, não há como não inovar e criar, é uma questão de adaptar-se ao mercado, à atualidade e sobreviver. Esta é a realidade do atual empresário, e aqueles que não percebem acabam por afundar suas empresas. Grandes organizações estão amargando severas crises por não inovar, tornando-se obsoletas.

Inovar não é só criar, vai muito além, envolve novas tecnologias, produtos e serviços. Para inovar, torna-se necessário desenvolver e implantar novos modelos de negócios, é uma nova organização que surge, é necessário repensar o processo de competição, cooperação e ambiente organizacional.

A Criatividade e a Inovação são os pontos fundamentais para uma organização nos tempos atuais. Sem que se projete o futuro, o presente passa a ser a consagração de que a empresa ficará no passado. A estrutura organizacional, que sofreu fortes trancos das empresas estrangeiras, passou a valorizar a inovação e a criatividade, fatores fundamentais diante da necessidade de competir.

Com a globalização e a quantidade de informações que recebemos hoje, o tempo parece correr muito mais rápido. Até mesmo o inovar passou a ser dependente dessa velocidade absurda, fazendo-se necessário quase que inovar o já inovado. Frente a tantas criações, acabaram por inovar também a relação de pessoal, firmando-se assim a Gestão de Pessoas como caminho único para as estratégias da empresa. O capital humano passou a ser valorizado e despendeu-se para sua formação uma administração cuidadosa e zelosa, para que ele pudesse oferecer inteligência e criatividade para as organizações, uma vez que foram percebidas como parte inteligente, proativa e capaz de inovar e criar.

Esta é a nova percepção, a força humana de uma organização. Um autêntico capital intelectual é o recurso mais importante de uma organização. Esta nova forma de ver o colaborador deu início ao processo motivacional e ao envolvimento de todos na modernização, fazendo com que todos se sintam parte do processo e desenvolvam apego e orgulho pelos resultados. O clima nas organizações passa a se apoiar em confiança mútua, em otimismo e é neste ambiente que surge a criatividade e implantam-se as inovações.

Sem um ambiente propício, de respeito e qualidade de vida para com os colaboradores não há criação nem inovação.

A inovação tem que representar mudança e aumento de padrão para a empresa, além de demonstrar a sua capacidade de reestruturar o time, porque de forma diferente não se implementará nada novo que seja positivo. Inovar significa também investimentos diversos, como financeiros e de treinamentos de capacitação de pessoas. A base para a decisão de inovar deve ser a de agregar valor, parte-se de uma nova estratégia que deve ser implementada, as maiores empresas no mercado têm a inovação no DNA.

Onde nasce a inovação, ou melhor, a criação do que se deve inovar, pouco importa. A importância está na abertura e dedicação de todos para que se promova a inovação. É fundamental que todos façam parte do processo. Para que uma inovação seja implantada com sucesso é necessário que haja conhecimento, demanda, aceitação e sorte.

As mudanças são rápidas demais, uma empresa que está em pleno crescimento de mercado de repente muda o seu cenário e os motivos são diversos: rede de fast food encontra uma onda de alimentação saudável; situações climáticas que alteram o comportamento de um povo; questões políticas e tributárias; etc. Enfim, são tantos os motivos que alteram o rumo de uma organização, além das criações dos concorrentes, que, sem criatividade e inovação, a empresa não vai conseguir se manter na mesma posição do ranking. Por esse motivo, compreendendo a limitação de abrangência de mercado na aquisição de produtos e serviços, as empresas precisam da inovação como fonte de sobrevivência. Ou seja, nenhuma empresa conseguirá alcançar uma crescente consistência se não usar ações de marketing e inovações constantes no decorrer de sua existência. 

A intensa busca por demanda nos tempos atuais faz com que as empresas se comportem freneticamente para inventar novos produtos e para agradar o público, seja lá como for. São tantas as variedades de produtos alimentares com apelos diversos e estranhos, por exemplo, que elas chegam a confundir, mais do que agradar.

Inovar quer dizer pisar em terreno não seguro, no entanto, as ferramentas que existem hoje para gestão são muito bem desenvolvidas para terrenos seguros. As empresas ainda não contam com boas bases de gestão para estes casos, por isso a parcela considerável da sorte no processo todo. Se as ferramentas usadas para gerir a inovação forem erradas, a empresa vai matar o inovado.

A parte crucial para uma empresa que quer inovar é valorizar o seu pessoal. Hoje não basta criar se a empresa não tiver incutido uma cultura de aprendizado e vá em direção às necessidades do conhecimento adequado. A empresa precisa saber da importância de desenvolver o seu bem maior, a inteligência. Para grandes empreendedores e para futuros profissionais de sucesso sabe-se que aprendizado vale tanto quanto salários, e esta moeda de troca compõe hoje muito da base de negociação sobre remuneração.

A cultura inovadora é propícia para o desenvolvimento de criações carentes ao mercado. É mais do que um jeito de ser da organização, é uma postura diante do mundo e do futuro, para perceber oportunidades de sucesso.

Inovar é a consequência do processo criativo implantado por meio da boa gestão de todos os seus procedimentos

A afirmação de que uma empresa se faz criativa pela forma de agir e que esta faz à sua maneira o padrão de condução dos negócios é verdadeira. Para uma empresa criativa, a criatividade está em cada detalhe, no seu dia a dia e nos menores detalhes.

Uma das formas de uma empresa se tornar criativa é a prática do destruir para criar o novo, é refazer processos, repensar o tempo todo a forma como faz e como pensa, sem apego. Não ter processos apegados, mas sim processos definidos e que possam, a qualquer momento, serem redefinidos, sem melindres ou disputas, somente livres e dispostos a renovar, a reinventar.

Para toda instituição criativa e inovadora deve-se esperar também um processo limpo e sustentável. Ser uma organização inovadora, criativa e sustentável tem a sua importância social e hoje não se faz nada no mundo das corporações sem este viés. A organização precisa, além de todos os cuidados e demandas mencionados no corpo deste estudo, associar às estratégias de gerenciamento, tanto de pessoas como de produtos e serviços, a questão da sustentabilidade. Desta forma, além de todos os ganhos e benefícios que a empresa já colhe com o seu posicionamento futurista, ainda se alia economicamente à questão socioambiental, além de desfrutar da aceitação provocada pelas boas práticas.

A empresa que inova precisa ter nas suas contas o fato de que nunca atingirá 100% de sucesso. E se caso for esta a expectativa ou, ainda pior, se precisar deste índice, é aconselhável que nem se dê ao trabalho de começar. Parte deste novo processo está em descobrir o novo, com todos os imprevistos que possam surgir. Portanto, inovar e criar não é algo tão seguro quanto refazer. Para vencer e desfrutar dos sucessos das inovações, alguns erros de percurso e alguns fracassos serão certamente somados ao processo.

A Criatividade e a Inovação são exportações de boas ideias e de sucesso, são exemplos e modelos a serem seguidos, depois de instituídas com êxito. Uma organização inovadora, com força para implantação, tende a seguir na frente, a ter vantagens no mercado e diante de seus competidores. Para as empresas atuais, inovar ou não inovar significa, respectivamente, viver ou morrer, pois passamos por um dos momentos mais agressivos de mercado da história, em que as regras pela sobrevivência são cruéis. Quem não inovar estará desarmado para esta batalha.

Para inovar, as empresas hoje tendem a investir na criatividade como um todo, fazendo com que as pessoas sejam mais criativas e assim façam a empresa também ser mais criativa. Os participantes fazem parte de todo o processo de conceitos de ideias e, sendo assim, o colaborador que hoje tem a sorte de trabalhar em uma empresa com a mente aberta terá um acréscimo profissional que levará para sempre, mesmo se um dia desligar-se da instituição, pois ele levará todo o conhecimento adquirido. O aprendizado é uma das únicas coisas na vida que não se devolve, jamais. Estes colaboradores sairão para o mercado valendo mais, diferenciados, aptos a pensar e a criar. Farão parte de um grupo escasso e valorizado de profissionais e irão se destacar tanto quanto ajudaram a empesa a se destacar. O ganho é, foi e sempre será de e para todos.

Texto: Luciana Ribeiro




Luciana Ribeiro


Rua Marapuama, 107 - Alto da Lapa - São Paulo
Telefone: 11 - 3835-7679
contato@zloti.com.br